Perdão ou culpa? O que o feminismo quer?

O post mais comentado entre as mulheres (pelo menos as feministas) neste final de semana, foi o depoimento de um estuprador arrependido para o Escreva Lola, Escreva, um dos blogs mais lidos entre as feministas do Brasil. O assunto já havia sido tratado outras vezes no blog, mas desta vez, um fator espantou as leitoras, Lola estava desculpando o estuprador e ainda colocando-o como vítima.

Eu particularmente tenho uma certa dificuldade em perdoar em diversas situações na vida, e esta seria uma situação que eu não perdoaria jamais. Prefiro ver a dificuldade de perdoar como facilidade em não perdoar, é assim que considero, justamente por ser algo difícil, não perdoar. Para mim a facilidade vem do fato de eu não ter uma religião ou um Deus que pregue nos meus pensamentos que isto é o correto a fazer, logo, tenho uma visão moral e racional do perdão. Mas o que torna o ato difícil é o fato de que a sociedade lhe impõe que o correto é ser tão nobre quanto o arrependido e perdoa-lo.

Em algumas situações em que não perdoei sem pensar duas vezes, achei o arrependido mais digno que eu por ter tido coragem de pedir desculpas. Mesmo sabendo que eu não era obrigada aceita-las, me senti menos “nobre” por não te-lo feito. Depois de ler o texto publicado por Lola, fiquei tentando achar a moral que eu sempre via no arrependido, na pessoa que pedia o perdão, e percebi que ela não existia, percebi que tinha que rever meus conceitos (não leve a mau, simplesmente não é fácil construir seu próprio julgamento de certo e errado sem uma religião).

Ainda que para muitos a atitude de um estuprador assumir seu erro levando sua história a público possa ser considerada nobre, o seu próprio erro não o isenta da culpa, dos danos e do sofrimento que ele causou aos parentes que estuprou, como contou no texto. Nenhum trauma que este arrependimento poderia lhe trazer poderia se igualar ao de suas vítimas, e o fato de já ter sido abusado não o torna menos culpado justamente porque ele conhecia o sofrimento antes de fazê-las sofrer.

O feminismo tem a mesma linha de raciocínio racional que uma pessoa sem Deus tem, por isso muitas feministas se revoltaram com a postagem, não acreditando na reabilitação do estuprador. Eu também não acredito, eu também não o perdoaria, mas não pude deixar de pensar: não é isso que o feminismo quer?

Até então discordei com a opinião da Lola, e concordei com todos os textos em resposta ao dela, como este aqui. Só que elaa pode ter cometido o erro que julgamos que cometeu,  mas conseguiu o que muitas queremos: mudou uma opinião.

Queremos entre muitas outras coisas, combater a violência sexual, e este homem estava arrependido, ele tinha consciência do que fez com a irmã, mesmo que ainda merecesse ir para a cadeia do que ter a história publicada num blog, (o que me fez pensar, que se ele realmente acha que deve se punir, deveria se entregar a policia).

Vamos sonhar e imaginar que ele esta sendo preso (porque não, a sua própria consciência pesando não é castigo o suficiente): ele não iria para a prisão achando que a irmã mereceu ser estuprada porque andava de toalha pela casa, porque ele era homem e não aguentou seus instintos ou porque era culpa dela de algum modo, ele iria para a cadeia sabendo que estava errado, sabendo porque estava sendo punido, pouco importa se estava arrependido ou não, o importante era que ele seria punido e saberia porque.

No fim das contas, concluí que sim, Lola não poderia estar completamente errada. Se ela perdoaria o estuprador? Não sei, talvez ela tivesse alguma moral religiosa pra seguir que eu não entenda, ou talvez pense BEM diferente da maioria. Mas fato é que seu blog e suas ideias funcionaram neste homem, que no depoimento afirmou acompanhar os posts dela. E quando criamos uma ferramente para combater o machismo, o que queremos mesmo é que as pessoas mudem de ideia.

Não é porque ele estuprou que não deve mudar de ideia, mas também não significa que deve ser perdoado e/ou deixar de ser punido. 

Anúncios

3 comentários sobre “Perdão ou culpa? O que o feminismo quer?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s