Casa TPM 2013: O que rolou no sábado?

Finalmente vou compartilhar aqui o que achei da primeira edição da Casa TPM que eu fui, junto das fotos que tirei por lá. O evento estava cheio de gente bonita, diferente e inteligente, que regaram ótimas discussões, algumas até polêmicas.

No primeiro dia, houve um reconhecimento de local, fui verificar o que estava rolando no evento além da sala de debates.

O evento:

A decoração mesclou a criatividade da produção da revista TPM que cuidava da festa, e do próprio estilo barroco e vintage do Nacional Club no Pacaembu.

Foto: Karoline Gomes
Foto: Karoline Gomes

Na entrada da casa, no saguão principal, uma mesa intitulada “Missão TPM” deixou papeis, canetas e maquina de escrever para os participantes do evento deixarem seus recados e se expressarem como quisessem, os resultados foram muito interessantes.

Foto: Karoline Gomes
Foto: Karoline Gomes
KarolineGomes
Foto: Karoline Gomes
Karoline Gomes
Foto: Karoline Gomes
Foto: Karoline Gomes
Foto: Karoline Gomes

No jardim, um varal solidário, para troca de peças por camisas do evento, no domingo, quase não havia mais peças brancas.

Foto: Karoline Gomes
Foto: Karoline Gomes

Um lounge com pufes, sofás e docinhos para o pessoal acompanhar a dj ou a tv com a sala de debates.

Foto: Karoline Gomes
Foto: Karoline Gomes
Foto: Karoline Gomes
Foto: Karoline Gomes
Foto: Karoline Gomes
Foto: Karoline Gomes

Claro que haviam os espaços promocionais dos patrocinadores, então vamos a eles: A Natura abriu uma sala para cuidar de cabelo e maquiagem, mas a fila estava enorme, não consegui nenhuma foto. A Sempre Livre tinha três espaços, no banheiro o espelho era da marca, que fez a pergunta O que é ser livre para você?, que combina com o tema do evento (Você é livre?). Podíamos responder essa pergunta também, colando post-its no espelho, e houveram respostas da mais diversas, algumas criticando propagandas de marcas de absorventes. Ironicamente, ou não, ainda no térreo, outra sala da marca grava takes para um novo comercial.

No segundo espaço, uma sala foi reservada para descanso, nada de wi-fi ou qualquer outra coisa que te ligasse ao mundo lá fora, além da televisão que exibia o que acontecia no andar de baixo, na sala de debates.

Foto: Karoline Gomes
Foto: Karoline Gomes
Foto: Karoline Gomes
Foto: Karoline Gomes
Minha prima Rosi Rodrigues me acompanhou no evento e acabou virando garota propaganda | Foto: Karoline Gomes
Minha prima Rosi Rodrigues me acompanhou no evento e acabou virando garota propaganda | Foto: Karoline Gomes
Foto: Karoline Gomes
Foto: Karoline Gomes
Foto: Karoline Gomes
Foto: Karoline Gomes

No andar de cima também tinha uma cabine de fotos super legal, que revelava fotos na hora, no maior estilo Polaroids.

Ligia Lins e Rosi Rodrigues, claro que tinha que ter uma foto pra cada uma de nós, né? | Foto: Karoline Gomes
Ligia Lins e Rosi Rodrigues, claro que tinha que ter uma foto pra cada uma de nós, né? | Foto: Karoline Gomes

A Risqué também marcou presença apresentando novas linhas de esmalte e oferecendo tratamento grátis nas suas unhas, eu até marquei horário, porque faz séculos que não faço as minhas unhas, mas já contei aqui que isso não me incomoda muito, então preferi assistir aos debates.

Foto: Karoline Gomes
Foto: Karoline Gomes

Trabalho:

E os tais debates que eu tanto falo? Claro que mantive o melhor pro final do post. No sábado, o primeiro debate foi: “Pra quê trabalhar que nem homem?”, tema que já havia sido tratado pela Revista em sua edição com Clarice Falcão na capa. No palco, o bate-papo foi conduzido por Fernando Luna, e as convidadas foram Andrea Alvares, diretora geral do negócio de snacks da PepsiCo, a delegada Adriana Mendes e Mirian Goldenberg, antropóloga.

O assunto passou pelo trabalho da mulher, é claro se prolongou pelo convívio em casa, pois claro, para um casal ser bem sucedido, ambos precisam trabalhar em casa e no trabalho. “Precisamos mudar o verbo ‘ajudar’. Enquanto quisermos que os homens nos ‘ajudem’ em casa, nunca teremos parceiros para dividir, e não ajudar.” explicou a antropóloga Miriam Goldenberg.

Na ordem:  Miriam Goldenberg, Fernando Luna, Andreia Alvarez, e Adriana Mendes durante debate sobre profissão | Foto: Karoline Gomes
Na ordem: Miriam Goldenberg, Fernando Luna, Andreia Alvarez, e Adriana Mendes durante debate sobre profissão | Foto: Karoline Gomes

– Corpo

No debate sobre corpo, com a surfista Maya Gabeira e a deputada federal Mara Gabrilli, o foco ficou na vida pessoal de ambas as convidadas, e como as duas lidam com os seus corpos, que já estava muito interessante, pois tínhamos opostos no palco, uma tetraplégica e uma atleta, mas ambas com a mesma energia, acabou tomando um rumo diferente do proposto pela apresentadora Sarah Oliveira, que introduziu o bate-papo falando da preocupação excessiva com a estética. Uma jornalista na platéia tentou voltar o papo para o objetivo principal, falar do narcisismo e dos esteriótipos de revista que levam as mulheres a quererem modificar seu corpo de forma nada saudável. A pergunta porém foi direcionada a Maya, que acabou não agradando com sua resposta “Depende, tem homem que gosta de gordinha, tem homem que gosta de magrinha, vai de você se ajustar”. Vamos combinar que aquela não era a melhor resposta para se dar num debate com o público leitor da revista TPM, mas não culpo completamente a Maya, será que a conversa foi bem mediada?

Na ordem: Mara Gabrilli, Maya Gabeira, Micheline Alves e Sarah Oliveira | Foto: Karoline Gomes
Na ordem: Mara Gabrilli, Maya Gabeira, Micheline Alves e Sarah Oliveira | Foto: Karoline Gomes

Fotografia:

Sou suspeita para falar, mas o debate sobre o nu masculino foi meu favorito do primeiro dia. Primeiro por causa dos dois fotógrafos incríveis que estavam presentes, Jorge Bispo e Vânia Toledo. Segundo, pelo tema em si, que merece ser discutido. Vânia Toledo estava ali para quebrar todos os esteriótipos, só para variar. Ela defendeu as mulheres em relação ao seus desejos sobre o homem. Segundo ela, as mulheres merecem e querem ver sim o nu masculino, seja ele artístico ou erótico, e devemos expressar esse desejo. “Não achava justo chegar em casa e ver revistas Playboy do meu marido, pensava ‘porque eu não posso ter também?'”, ela frisou ainda que o nu feminino acabou tornando-se comum e aceitável, o masculino é algo novo e revolucionário.

Na ordem: Renata Leão, Jorge Bispo e Vânia Toledo | Fotos: Karoline Gomes
Na ordem: Renata Leão, Jorge Bispo e Vânia Toledo e Sarah Oliveira | Fotos: Karoline Gomes

Foto: Karoline Gomes

Bullying:

Depois do mural de 5 minutos (que acabou durando bem mais) com Lola Aronovich, sobre bullying virtual, eu tive que deixar o evento, pois tinha outros planos, mas mesmo não estando lá para acompanhar os outros debates, posso deduzir que Lola foi a convidada mais aplaudida de sábado. Cheia de bom humor e sarcasmo, ela subiu ao palco e contou tudo o que ela enfrenta para ter seu blog no ar até hoje, e incentivou mais feministas a terem blogs, escreverem e se expressarem de alguma maneira. No sábado ainda rolou mais 5 minutos de Luiz Alberto Hanns, falando sobre relacionamento.

Mural com  Lola Aronovich | Fotos: Karoline Gomes
Mural com Lola Aronovich | Fotos: Karoline Gomes

Foto: Karoline Gomes

Pois é, não tem foto no debate sobre maternidade com a cantora Karina Buhr, e com a jornalista Patricia Koslinski, e menos ainda do show do Otto que encerrou a primeira noite de Casa TPM, mas em compensação, fiquei o domingo todinho lá e vou documentar tudo no próximo post, com fotos e (espero conseguir editar) o primeiro vídeo do blog.

Anúncios

Um comentário sobre “Casa TPM 2013: O que rolou no sábado?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s