Amélia assistiu: Once Upon a Time

Tentei, mas mesmo assim o texto contém spoilers ):

Caso você ainda não conheça, Once Upon a Time é uma série americana da ABC que chegou com a proposta de trazer a vida personagens de clássicos contos de fadas que foram, em sua maioria contados pela Disney, o que é uma vontade de muitos fãs dos filmes, ver como seriam as versões “originais” das princesas, esse é uma das razões para o parque da Disney em Orlando, que têm versões reais delas, é tão frequentado, especialmente por meninas, que são obrigadas a assistir este segmento de filmes porque, bem, “é para meninas”.

onceuponatime

Personagem principal:

Quando a série estreou assisti pelo simples fato de ter como personagem principal a qual todas as outras histórias do reino iam girar em torno, a princesa Branca de Neve, a mais clássica desse tipo de personagens da Disney, sendo estrela da animação dos anos 50 Branca de Neve e os Sete Anões e que recentemente ganhou versões humanas nos cinemas, como em Espelho, Espelho Meu e Branca de Neve e o Caçador.

Imagino que o público que lê este blog conheça e não seja a favor da história de Branca, que tem que fugir de uma madrasta, a Rainha Má que queria matá-la por ser mais bonita que ela, (estereotipando um típico motivo de briga feminina), precisa se proteger na casa de sete anões, que simplesmente por serem homens ainda conseguem ser mais fortes que ela, e o que ela faz para agradá-los? Lava, passa e cozinha. E quando é pega pela madrasta na maldição do sono,  um príncipe que aparece do nada e supostamente é o amor de sua vida a acorda apenas com um beijo, o típico plot de donzela em perigo que se repete em muitos outros contos de fada e até em vídeo games.

Eu também não concordo com nada disso na história, mas foi o primeiro filme que viciei na infância, você sabe, sempre temos um que assistíamos todos os dias até estragar a fita VHS, quando não sabia o quão prejudicialmente influenciável aquelas histórias poderiam ser. Por isso as versões recentes da história da Branca de Neve foram recebidas por mim com alegria, uma vez que quebravam um pouco a idéia de mocinha em perigo que o primeiro filme criou, essa quebram, mas não como Once Upon a Time.

A série:

oncebrancaJá imaginou a Branca de Neve que conhecemos no clássico da Disney atirando arcos e lutando ao lado do Príncipe Encantado? Já imaginou o Príncipe Encantado tendo uma história e um nome de verdade, e que não seja tão encantado assim?

É isso que fascina em Once Upon a Time, cada personagem tem sua vida explicada e detalhada, claro que não de acordo com o plot da Disney ou até mesmo com os próprios livros de seus autores originais, uma vez que cada história que acontecia na Floresta Encantada e que passou para a cidade no mundo real chamada Storybrooke, se intercalam como núcleos de novela mesmo, sabe? Mas fazendo um pouco mais de sentido.

E o mais bacana, é que as princesas não são como foram apresentadas nas animações, elas foram guerreiras na Floresta Encantada e continuam sendo em Storybrooke, claro que de uma forma mais moderna e cada uma do seu jeito.

Rainha Má – que tem nome! Regina – solta uma maldição na Floresta Encantada, reino onde todos os personagens dos contos moravam, e eles ganham o triste destino de morar no nosso mundo real, sem magia e sem memória de quem são. A Rainha Má fez isso para se vingar de Branca de Neve e de todos do reino que eram contra ela, e consegue, deixando todos infelizes. E é assim que se passa a primeira temporada da série, com a promessa de que Emma Swan, seja a Salvadora que uma profecia dizia, a profecia previa que uma mulher (não um homem super herói, uma mulher de 28 anos), salvaria a memória de todos. O único que acredita nisso é o filho adotivo de Regina, que por um acaso é filho biológico de Emma e vai em busca da mãe pois acredita que por ser fruto do amor verdadeiro – quebrador de feitiços oficial da série – entre Branca de Neve e seu príncipe, pode libertar o mundo mágico do qual a mãe adotiva o privou.

Em Storybooke o tempo nunca passa, o que possibilita que os mesmos atores interpretem seus personagens no passado, na Floresta Encantada e no presente, no mundo real, com as personalidades que assumiram depois da maldição.

Nesta segunda temporada, todos os personagens já sabem quem são, mas estão presos em Storybooke, graças a Rumplestiltskin, que foi egoísta e enfeitiçou o lugar para que todos ficassem, os planos do senhor das trevas, é de encontrar seu filho Belfire. E eis que na terceira, ainda não deu tempo de voltar para a Floresta Encantada mesmo depois que Rumple consegue encontrar seu filho, já que uma aventura na Terra do Nunca governada por Peter Pan começa.

Vou confessar que adorei essa ideia de por Peter Pan como o vilão, adoro as histórias dos filmes do menino que não queria crescer, mas sempre achei que não era muito saudável essa obsessão por recolher crianças para um mundo onde viveriam sem os pais. Infelizmente nunca li os livros originais da história, mas já li que essa era mais ou menos a real personalidade do menino, que claro, a Disney preferiu esconder.

Ta aí o trailer da terceira temporada, separei esse porque, na verdade, não tem nenhuma imagem nova, apenas um apunhado de imagens da primeira e da segunda temporadas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s